"Meu primeiro bordado de mundo nasceu de alinhavos e ornamentos. A escrita é marcada pelo mergulho da autora em suas próprias águas, por texturas do fazer manual e pelas andanças até encontrar a sua voz. É na poesia que Flávia se reconhece peregrina ao pastorear ovelhas que lhe oferecem lãs. Dos altos montes às vastas planícies, o corpo vivente se desloca no fio espiral do tempo. Eis a precisão da palavra de quem se tece ao cantar. Ao casear as próprias vestes, a autora revela os passos neste manual de tecelagem." Zinumai Valf ::: Disponivel na Amazon, Fnac, Livraria Cultura, Google books, Kobo, Ubook.

 

O tão esperado terceiro álbum da Trilogia da Terra  está disponível nas plataformas digitais! 

 

Frutífera é compilado alquímico de tudo o que há na minha quitanda: poesia, cantoria, rezo, história, utopia, passarada, saúde, bem viver e muitos porquês. No podcast expando e conecto música, escrita e visão de mundo. 

 

.

20210405_FlaviaMuniz_maquete.jpg

Flávia Muniz passou pelo curso Bacharelado em Música Popular Brasileira, na Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro). Em 1993 teve sua primeira banda chamada 1999, gravando dois CDs “O balaio” (2000) e “Matutando” (2002). Estudou na Escola de Música Villa Lobos, onde gravou sua primeira composição no Festival de 1998. Integrou a banda Luisa mandou um beijo, com a qual lançou três CDs e participou de coletâneas no Japão, Alemanha, Itália, Singapura, Galícia, América Latina. Com a banda conquistou o “Prêmio Catavento” em 2010. Estudou flauta transversa e cavaquinho na Escola Portátil de Música. Fez aulas de canto popular com Suely Mesquita. 

Já em carreira solo tem 5 álbuns solos lançados. "Descalços sobre a Terra" (2012-Elefant records) e "O que a Terra quer ver (2016/independente), "Do firmamento até a Terra" (2021 - Independente), "CD4" (2019 - experimental) e "E agora eu sou o mar" (2020 - experimental). Participou da gravação do disco “Limelight” (2012) da banda espanhola Llum. Em 2014 lançou o single “Mãe d’água”. Criou o podcast Frutífera, compilado alquímico de tudo o que há em sua quitanda: poesia, cantoria, rezo, história, utopia, passarada, saúde, bem viver e muitos porquês. No podcast a artista expande e conecta sua música, sua escrita e sua visão de mundo. Quando escreve livros, assina seu nome inteiro. Flávia Muniz Cirilo tem 7 livros lançados e participação em 3 coletâneas. Aprimorou os estudos em violão na Casa do choro.